FERRAMENTAS DIGITAIS OU EXPERIÊNCIAS PEDAGÓGICAS?

ferramentas

Ferramentas


Estas não são ferramentas digitais, mas têm um mesmo propósito: devem ser utilizadas para facilitar o trabalho que se pretende realizar.
Para se pendurar um quadro numa parede (objetivo) usamos um prego e o martelo. Não pregamos um prego recorrendo ao martelo como um fim em si.
Também em educação as ferramentas não devem ser utilizadas como um fim em si. O editor de texto deve ser utilizado para se construir um texto com informação que possa gerar aprendizagens e não para se aprender a alterar o tipo de letra, a cor ou outras funcionalidades. Estas aprendizagens hão de surgir em contexto de trabalho, quando fizerem sentido para a concretização do objetivo pedagógico da atividade. 


Atividades


No desenvolvimento de atividades com características dos jogos (gamificação - do inglês, game) se o objetivo for direcionado para a componente lúdica, explorando mais as dinâmicas do jogo e menos as componentes associadas à aprendizagem pedagógica, corremos o risco de apenas entreter os alunos. 

Um questionário com recurso à gamificação, deve ter um fim pedagógico e não apenas servir para motivar - apesar da motivação ser um fator essencial para a aprendizagem.

Colocar os alunos a construir o questionário para desenvolver com os colegas, com recurso aos conteúdos da disciplina, pode ser uma boa estratégia - proporcionar aos alunos a possibilidade de serem eles próprios os "construtores" em vez de serem apenas os "utilizadores".


jogo
books

Experiências


Ao proporcionarmos aos nossos alunos experiências educativas que tenham potencial pedagógico estamos a contribuir para o desenvolvimento de aprendizagens significativas. Aprendizagens construídas a partir de experiências anteriores e que se traduzem em novas aquisições.

Explorar uma ferramenta digital pode ser interessante (pontualmente), mas usar uma ferramenta digital para construir um produto que faça sentido é uma conquista para alunos e para professores: a construção de um cartaz digital sobre consumo sustentável para ser apresentado numa palestra à comunidade escolar e publicado nas montras dos estabelecimentos que circundam a escola terá mais impacto do que a exploração de uma ferramenta digital para aprender a centrar um título ou mudar uma cor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *